De Povos Indígenas no Brasil

News

Rondônia efetiva 313 professores indígenas, cria Conselho, garante identidade e conserva língua materna

06/07/2016

Autor: Montezuma Cruz

Fonte: Governo de Rondônia- http://www.rondonia.ro.gov.br



Cento e sete escolas indígenas, 3,5 mil alunos e 14 coordenações escolares ganham fôlego em Rondônia. Depois de 20 anos, desde que a Fundação Nacional do Índio (Funai) transferiu o ensino indígena aos estados, o governo estadual efetiva a maioria dos 313 professores concursados de 2015, que já trabalhavam na condição de emergenciais.

No dia 30 de junho passado, o Governo de Rondônia publicou o edital no 168 convocando mais 60 professores nível A Magistério Indígena e 20 nível B Magistério Superior Indígena.

"Começa de fato, agora, a construção de políticas públicas com a efetiva participação dos povos indígenas", comentou o coordenador do Ensino Indígena na Secretaria Estadual de Educação (Seduc), Antonio Puruborá.

Mais quatro escolas indígenas estão em construção com recursos do Programa Integrado de Desenvolvimento e Inclusão Socioeconômica do Estado de Rondônia (Pidise), em Alta Floresta, Guajará-Mirim (duas), e Vilhena.

Elas situam-se na Aldeia Ricardo Franco, TI Rio Branco, TI Tubarão-Latundé e TI Tanajura, Pakaas-novas.

"O estado evoluiu bem em termos de legislação: temos agora leis complementares específicas. Antes, era aplicada a Lei 349, com a contratação do professor indígena via CDS [cargo de direção superior], hoje vigora a Lei 578/2010, que trata exclusivamente da carreira do magistério indígena", afirma Puruborá.


54 aldeias beneficiadas


Puruborá assumiu o cargo em dois de fevereiro deste ano, porém, conhece a realidade geográfica e humana rondoniense. "Antes eu já participava do debate educacional na condição de membro do Conselho Estadual de Educação e como líder indígena", lembrou.

O concurso para professores indígenas beneficiou 54 aldeias com os seguintes povos: Aikanã, Arara, Amondowa, Arowa, Canoê, Cujubim, Cinta-larga, Dalamaré, Djeoromiti (Jaboti), Gavião, Karitiana, Kassupá, Kaxarari, Kithãulu Kwazá, Oro Waram, Xijein, Oro Mon, Oro Nao', Latundê, Mamaindê, Macurap, Massacá, Manduca, Miqueleno, Puruborá, Tawandê, Tupari, Sabanê, Sakirabiat, Suruí, Suruí-Tupi Mondé, Oro eo, Cao Oro Wage, Wari, Wajuru, Uru eu au au, Xijein.

Eles habitam os seguintes municípios: Alta Floresta do Oeste, Cacoal, Espigão do Oeste, Extrema de Rondônia, Guajará-Mirim, Jaru, Mirante da Serra, Nova Mamoré, Pimenta Bueno, Porto Velho, São Francisco do Guaporé, Seringueiras e Vilhena.


Conselho Estadual Indígena


Rondônia tem agora o Conselho Estadual de Educação Indígena, aprovada pela Lei Complementar no 884, de 27 de junho de 2016, sancionada pelo governador Confúcio Moura, no dia 27.

Deliberativo e de assessoramento técnico, o Conselho será formado por representantes do poder público, da Universidade Federal de Rondônia (Unir), da Seduc, organizações não governamentais, Organização dos Professores Indígenas de Rondônia (Opiron) e representantes dos povos indígenas.

"Nossos indicados atendem à organização social de cada povo e serão eleitos ainda neste semestre", informou Antonio Puruborá. Ele explicou que 25 conselheiros indígenas serão responsáveis por regiões: Guajará-Mirim, dois titulares e três suplentes; Nova Mamoré, Extrema, Porto Velho, Jaru-Mirante da Serra, Ji-Paraná, Alta Floresta, São Francisco-Seringueiras, Cacoal, Pimenta Bueno e Espigão do Oeste, cada qual com um titular e um suplente.

"Teremos de fato uma educação diferenciada. O Conselho irá propor e acompanhará ações interinstitucionais que garantam a identidade cultural de nossos povos e estratégias para o ensino bilíngue e multilíngue ministrado na língua materna e na língua portuguesa", assinalou o coordenador.

Povos indígenas em Rondônia falam as seguintes línguas maternas:

Aikanã
Amondawa
Arara
Cinta-larga Tupi Mondé
Djeoromitxi, Gavião [Ikôro]
Gavião[Okôro]
Karitiana/Tupi-Ariken
Karipuna
Kassupá/Aikanã
Kaxarari/Pano
Kwazá/Sakirabiat
Kwazá/Aikanã
Miqueleno/Puruburá
Puruburá
Nambikwara [há dois falantes do idioma Sabanê e um idioma Manduca]
Sakirabiat
Suruí Tupi-Mondé
Tupari [à exceção da etnia Aruá, que é língua do tronco Tupi Mondé]
Wari Txapakura
Uru eu wau
Uru eu Wau wau



http://www.rondonia.ro.gov.br/2016/07/123955/
 

The news items published by the Indigenous Peoples in Brazil site are researched daily from a variety of media outlets and transcribed as presented by their original source. ISA is not responsible for the opinios expressed or errors contained in these texts. Please report any errors in the news items directly to the source