Foto: Vladmir Kojak, 1988

Xavante

  • Autodenominação
    A´uwe
  • Onde estão Quantos são

    MT18.380 (Siasi/Sesai, 2014)
  • Família linguística

Dinâmica demográfica e as terras indígenas Xavante

Como outros povos indígenas, os Xavante sofreram um acentuado decréscimo populacional nas diferentes fases do contato com os "civilizados". A partir da década de 70, com o início da demarcação de suas terras, o crescimento demográfico passou a ser constante a uma taxa média de quase 5% ao ano. Nos meados do século XIX teriam sido contados entre 3 e 5 mil nativos desse conjunto etnolinguístico então aldeados no Aldeamento de Pedro III na antiga Província de Goiás (atualmente T.I.Carretão/GO).

Frei Rafael de Taggia, assinala que em 1852 residiriam no aldeamento de Teresa Cristina, hoje município de Tocantinia (TO), à beira do Rio Tocantins, cerca de 4.000 índios “xavante” e “xerente”. Dificilmente essas estimativas podem ser incorporadas fielmente pois a sobreposição identitária e, portanto, territorial, entre os sub-grupos considerados Acuen impede que se tenha de fato um número populacional preciso sobre cada um deles. Só a partir do (re)contato dos grupos locais xavante na década de 1940 e 1950, então já no leste matogrossense, com agentes tais como as missões católicas salesianas, o Serviço de Proteção aos Índios e o etnólogo Maybury-Lewis, é que podemos vislumbrar dados mais precisos sobre a dinâmica demográfica xavante:

Ano População total Fontes
1958 1.100 SPI - Missão salesiana: in Maybury-Lewis [1984]
1963 1.465 SPI - Missão salesiana: in Maybury-Lewis [1984]
1969 2.160 Giaccaria e Heide [1972]
1977 3.340 Funai: in Lopes da Silva [1986]
1980 3.405 Funai: in Lopes da Silva [1986]
1983 4.412 Funai
1984 4.834 Funai: in Graham [1995]
1988 6.091 Funai: in Carrara [1998]
1996 7.985 Funai
1998 10.221 Equipe de Saúde: FunaiI/PNUD/Prodeagro
2000 9.601 DSEI /Funasa – Barra do Garças
2004 11.231 DSEI /Funasa – Barra do Garças
2007 13.303 DSEI/Funasa– Barra do Garças


Atualmente são cerca de 165 aldeias xavante espalhadas de maneira bastante desigual por cada uma das nove terras xavante: Parabubure, por exemplo, tinha no ano de 2003 cerca de 60 aldeias e uma população de 4.502 pessoas, enquanto Pimentel Barbosa tinha 6 aldeias e 1.570 pessoas.

 

Dinâmica populacional recente por terra indígenas [1977-2003]

 

Terras Indígenas 1977 [Funai] 1980 [Funai] 1984 [Funai] 1988 [Funai] 1996 [Prodeagro] 1998 [Prodeagro] 2000 [DSEI] 2003 [DSEI]
Areões 303 347 511 594 759 855 913 1028
Marechal Rondom 111 120 215 237 376     447     433     500
Parabubure 1.066 1.179 2.104 2.697 3.162 4.320 3.883 4.502
Pimentel Barbosa 266 269 526 673 1.068 1.139 1.361 1.570
Sangradouro  548 497 446 524 807 1.156 933 1.188
São Marcos 1.010 993 1.032  1.366 1.813 2.304 2.078 2.443
TOTAL  3.304 3.405 4.834 6.091 7.985 10.221 9.601 11.231

Chão Preto - a população aparece no cômputo geral da TI Parabubure
Maraiwatsede - litígio no processo de regularização fundiária
Ubawawe - a população aparece no cômputo geral da TI Parabubure