Foto: Antônio Carlos Moura, s/d

Tapirapé

  • Autodenominação
    Apyãwa
  • Onde estão Quantos são

    MT, TO760 (Siasi/Sesai, 2014)
  • Família linguística
    Tupi-Guarani

Nota sobre as fontes

Esse texto sobre os Tapirapé foi elaborado a partir do "Relatório de Identificação e delimitação da área indígena Urubu Branco", organizado pelo antropólogo André Amaral de Toral e finalizado em 1994. Tal relatório teve como objetivo servir de base no processo demarcatório da terra indígena Urubu Branco, dada como posse permanente aos Tapirapé no ano de 1996.

Dois trabalhos de peso já haviam sido publicados sobre os Tapirapé. Herbert Baldus, em 1970, publicara: Tapirapé- Tribo tupi no Brasil Central. Baldus visitou os Tapirapé entre os anos 30 e 40, sendo esse uma etnografia de fôlego com inúmeras referências documentais e históricas, fundamentais para o entendimento a respeito dessa cultura. Outra referência fundamental no estudo dos Tapirapé é o norte-americano Charles Wagley, que publicou o livro Lágrimas de Boas-Vindas: Os índios Tapirapé do Brasil Central, publicado em 1988. O antropólogo acompanhou os Tapirapé durante 35 anos, passando um período intenso entre o grupo: 15 meses entre os anos de 1939-40.