De Pueblos Indígenas en Brasil

Noticias

FOIRN realiza VII Assembléia Geral

28/11/2002

Fonte: Site do ISA- Socioambiental.org.-São Paulo-SP



Lideranças Indígenas das 49 organizações de base filiadas a Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro(FOIRN), estão reunidos na Maloca em São Gabriel da Cachoeira(AM), para a VII Assembléia Geral. Na cerimônia de abertura que ocorreu, ontem, às 20 h, autoridades locais estiveram presentes, além de Gersem Luciano Gerente Técnico do Projeto Demonstrativo dos Povos Indígenas(PDPI) e Márcio Santilli, do Instituto Socioambiental. Para o Orlando de Oliveira, presidente da FOIRN, " esta assembléia, além de ser um momento de discussão de temas relevantes da FOIRN e do movimento indígena do rio Negro, é também o momento de alegria. A FOIRN comemora 15 anos de luta na esperança do fortalecimento de parcerias pelo desenvolvimento sustentável, respeito as diferenças e aos direitos coletivos dos povos indígenas da região". Na cerimônia também foi lançado o Calendário-Postal Indígena, fruto do trabalho conjunto FOIRN/ISA. As autoridades e lideranças das organizações receberam das mãos de Orlando José e Beto Ricardo (FOIRN e ISA) exemplares do calendário. A assembléia tem a previsão de encerrar no dia 30/11, com muita dança tradicional.

FOIRN 15 ANOS DE CONQUSTAS

1987 - II Assembléia dos Povos Indígenas do Alto Rio Negro e fundação da FOIRN, com a missão de lutar pela demarcação de terra contínua.
1991 - A FOIRN publica o informativo "WAYURI".
Em 1995, lançamento da série de publicações intitulada "Narradores Indígenas do Rio Negro", para sistematizar os conhecimentos e as experiências vividas pelos povos do Rio Negro.
1996 a 1998 - o governo do Presidente Fernando Henrique Cardoso reconheceu os direitos coletivos dos povos indígenas e demarcou 5 terras indígenas da região do Alto e Médio Rio Negro, totalizando 10.6 milhões de ha.
Nos anos de 1997 e 1998, a FOIRN em parceria com o Instituto Socioambiental - ISA realizaram pesquisas voltadas ao zoneamento ecológico e econômico da região. Com base nas informações obtidas através da pesquisa, a FOIRN vem desenvolvendo juntamente com as comunidades indígenas novas alternativas econômicas adaptadas ao meio ambiente da região, tais como: piscicultura com espécies de peixes nativos, avicultura em sistema semi-aberto, agricultura tradicional, produção e comercialização de artesanato.
Desde 1997 a FOIRN mantém convênio com a Fundação Nacional de Saúde - Funasa, através do qual vem realizando o atendimento básico nas regiões do rio Içana, rio Waupés/Papuri e Tiquié, e contratou 125 agentes indígenas de saúde, para prestar serviços de atendimento básico para as comunidades indígenas.O convênio também é destinado a promover a participação dos conselheiros indígenas nas conferências e reuniões locais, distritais, regionais e nacionais que tratam da saúde indígena, garantindo assim o controle social.neste setor.
A partir de março de 2000, a FOIRN passou a veicular diariamente o programa "Vozes do Rio Negro", através da Rádio Nacional de São Gabriel e Rádio FM Novo Milênio, para informar as comunidades indígenas e a população em geral sobre suas atividades.

Em 2001 a FOIRN celebrou convênio com o Ministério da Justiça para Consolidar a Implantação do Projeto Cidadania Indígena no Rio Negro que tem como objetivo implementar um trabalho duradouro na busca de um efetivo exercício da cidadania e dos direitos pelos povos indígenas da região, proporcionando às comunidades indígenas os meios necessários para que seus integrantes venham possuir a documentação básica bem como consolidar as informações a respeito do exercício de direitos, visando tornar clara e palpável à realidade indígena a idéia sobre os princípios e direitos erigidos pelo Estado brasileiro.
Em 2002 a FOIRN iniciou o projeto de Macrozoneamento Participativo das Terras Indígenas do Alto e Médio Rio Negro que deverá abrir caminho para a formulação de um Programa Regional de Desenvolvimento Sustentável, que é uma demanda das comunidades indígenas.
 

Las noticias publicadas en el sitio Povos Indígenas do Brasil (Pueblos Indígenas del Brasil) son investigadas en forma diaria a partir de fuentes diferentes y transcriptas tal cual se presentan en su canal de origen. El Instituto Socioambiental no se responsabiliza por las opiniones o errores publicados en esos textos. En el caso en el que Usted encuentre alguna inconsistencia en las noticias, por favor, póngase en contacto en forma directa con la fuente mencionada.