From Indigenous Peoples in Brazil

News

Fumaça das queimadas "fecha" o céu em Rondônia

12/08/2010

Autor: Daniel Panobianco

Fonte: De Olho no Tempo - wwwdeolhonotempo.blogspot.com



A quantidade de partículas poluidoras em algumas áreas de Rondônia é mais intensa que em regiões industrializadas de grandes metrópoles. Friagem no final de semana pode piorar e muito a situação.

O mês de agosto chegou e com ele o inferno das queimadas no sul da Amazônia. Enquanto o governo engana a população em ano de eleição, ditando dados surreais da redução de queimadas, a política ambiental segue sem rumo em grande do Brasil. Nas última 24 horas, os satélites registraram apenas no Brasil, 9197 focos de queimadas.

Em Rondônia, a situação é preocupante. A quantidade de focos de queimadas registradas em todo o Estado desde o começo do ano é alarmante.

O que vem chamando a atenção não são apenas os focos registrados em áreas rurais, unidades de conservação ou em áreas de matas ainda intocáveis. As queimadas aumentaram também no perímetro urbano elevando o índice de desconforto da população.

Em Porto Velho, a fumaça das queimadas tem prejudicado e muito todos os meios de transporte; Rodoviário, fluvial e aéreo que sofrem com a baixa visibilidade horizontal.

Nesta quarta-feira (11), dados de METAR do aeroporto "Governador Jorge Teixeira de Oliveira" reportaram por mais de 24 horas seguidas a presença de fumaça na cabeceira da pista. Entre as 7 e 9 horas (local), a visibilidade ficou limitada a apenas mil metros obrigando as operações por instrumentos.
Nas estradas fica nítido o descaso com o período que requer maior ênfase e atitude dos governantes. Os focos espalhados nos acostamentos só elevam o saldo negativo das queimadas no período mais seco do ano na Amazônia.

Dados de sensores e satélites revelaram que o ar está mais poluído entre a Bolívia, Rondônia e Mato Grosso que em regiões industrializadas como São Paulo e Cubatão, por exemplo. A quantidade de partículas poluidoras traz ao reflexo da população rondoniense que não aguenta mais o clima tórrido dos últimos dias. Ar muito seco, com umidade de até 13% - estado de alerta - no interior do Estado; Temperaturas de até 37°C nas regiões de Ariquemes, Cacoal, Ji-Paraná e Porto Velho e fumaça, muita fumaça por todos os cantos.

Nas últimas 24 horas, um imenso foco de queimada foi registrado na divisa de Rondônia com o Mato Grosso, entre Vilhena e Comodoro. Os sensores do satélite AQUA da NASA (Agência Espacial Americana) identificaram uma grande "mancha" de fumaça fechando por completo o céu em território rondoniense.

A situação pode se deteriorar no final de semana haja vista que uma frente fria é prevista para atingir a região. Além de configurar a oitava friagem de 2010 e diminuir as temperaturas - principalmente as mínimas entre sábado (14) e terça-feira (17), para marcas de até 10°C no Cone Sul, a friagem irá proporcionar a ocorrência de ventos fortes na região, o que levaria na propagação dos focos de calor já existentes; O céu em Rondônia tende a ficar ainda mais fechado com o avanço da frente fria, que irá empurrar uma espessa camada de poluentes agora atuantes na Bolívia.

http://wwwdeolhonotempo.blogspot.com/2007/08/poluio-das-queimadas-fecha-o-cu-em.html
 

The news items published by the Indigenous Peoples in Brazil site are researched daily from a variety of media outlets and transcribed as presented by their original source. ISA is not responsible for the opinios expressed or errors contained in these texts. Please report any errors in the news items directly to the source