From Indigenous Peoples in Brazil

News

Planta nativa da Amazônia inibe em 80% a malária

28/07/2011

Autor: Sebastião Alves

Fonte: Agência Amazônia - http://www.agenciaamazonia.com.br



É o que aponta pesquisas feitas com o extrato da espécie Caferana. Atualmente a Amazônia é responsável por 99% dos casos de malária ocorridos no Brasil

MANAUS, AM - A realização de testes com o extrato de uma planta amazônica, conhecida como Caferana, estuda o fato dela inibir em até 80% os efeitos da malária. É o que aponta a pesquisa 'Estudo in vitro da atividade antimalárica de extratos e frações dos frutos de Picrolemma Sprucei', apresentada na segunda-feira, 25 de julho, no Congresso de Iniciação Científica da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD).

Segundo a estudante de Iniciação Cientifica do 7° período do curso de Farmácia do Centro Universitário do Norte (UniNorte), Maria Deliane Nascimento, o estudo possibilitou o experimento de várias amostras sanguíneas originárias da picada do mosquito, do gênero Anopheles, infectado pelo protozoário Plasmodium.

A acadêmica diz que o objetivo principal da pesquisa foi avaliar os efeitos do extrato da caferana, conhecida no meio científico como Picrolemma Sprucei, enquanto inibidora da malária. A pesquisa teve o financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), por meio do Programa de Apoio à Iniciação Científica do Amazonas (Paic).

Indígenas já conheciam a Caferana

De acordo com a estudante, as sociedades indígenas amazônicas já realizam a cura da malária por meio do extrato da caferana. "Os índios utilizavam também para outras enfermidades, como por exemplo, a diarreia e o câncer".

Segundo a pesquisadora, o processo de investigação se deu não somente nos experimentos de laboratório, mas por meio de consultas em artigos publicados em revistas especializadas sobre o assunto e visitas constantes ao Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).

Para Nascimento, não é fácil encontrar a caferana na floresta amazônica, entretanto o caboclo amazônico conhecedor das ervas medicinas coloca à disposição folhas secas da erva encontrada nos mercados e feiras da cidade. "Quanto ao processo de industrialização do extrato, a população de baixa renda terá acesso ao medicamento, que de certa forma inibe a doença, comum em nossa região.

malaria28072011Sintomas e transmissão da malária

Os sintomas mais comuns da malária são: calafrios, febre alta (no início contínua e depois com frequência de três em três dias), dores de cabeça e musculares, taquicardia, aumento do baço e, por vezes, delírios.

"Além dos sintomas correntes, aparece uma ligeira rigidez na nuca, perturbações sensoriais, desorientação, sonolência ou excitação, convulsões, vômitos e dores de cabeça, podendo o paciente chegar ao coma", comentou Nascimento.

O protozoário é transmitido ao homem pelo sangue, geralmente através da picada da fêmea do mosquito Anopheles, infectada pelo Plasmodium ou, mais raramente, por outro tipo de meio que coloque o sangue de uma pessoa infectada em contato com o de outra sadia, como o compartilhamento de seringas (consumidores de drogas), transfusão de sangue ou até mesmo de mãe para feto na gravidez.

Fapeam apoia as iniciações científicas

Segundo Nascimento, o financiamento da bolsa de iniciação científica pela Fapeam foi de extrema valia. "O risco de contaminação dos processos de experimentos é muito grande. Há necessidade das repetições de materiais no laboratório. Então, a Fapeam é fundamental no financiamento para a compra de novos materiais e execução do projeto", disse.

O Programa de Apoio à Iniciação Científica do Amazonas (Paic) é outra iniciativa que apóia, com recursos financeiros e bolsas institucionais, estudantes de graduação interessados no desenvolvimento de pesquisa em instituições públicas e privadas do Amazonas


http://www.agenciaamazonia.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1047:planta-nativa-da-amazonia-inibe-em-80-a-malaria&catid=1:noticias&Itemid=704
 

The news items published by the Indigenous Peoples in Brazil site are researched daily from a variety of media outlets and transcribed as presented by their original source. ISA is not responsible for the opinios expressed or errors contained in these texts. Please report any errors in the news items directly to the source