News

ÍNDIOS XAVANTES MOSTRAM NA USP SUA RELAÇÃO COM A NATUREZA

31/05/2003

Fonte: Imprensa Oficial-Brasília-DF



Quarenta índios xavantes, de Sangradouro (Mato Grosso), participarão da 1ª Semana do Meio Ambiente da USP - Universidade de São Paulo, a ser realizada de 2 a 6 de junho. Haverá palestras, mesas-redondas, exposições, partidas de futebol entre a USP e xavantes e apresentações abertas ao público.

Segundo Xanda de Biasi Miranda, sócia fundadora da Associação Xavante Warã, organização que representa os xavantes em São Paulo, o objetivo é mostrar não só aos alunos da USP, futuros pesquisadores, mas também ao público em geral o tipo de relação entre o corpo, meio ambiente e cultura do indígena. A associação é uma ONG que luta em defesa de sua cultura e do cerrado brasileiro. "Sempre que defendemos os xavantes, estamos falando também em cerrado. Se ele acabar, os xavantes também acabam".

Os indígenas mostrarão ao meio acadêmico seu conhecimento sobre a natureza brasileira ameaçada de destruição em decorrência de políticas predatórias. Segundo o assistente de direção da prefeitura da USP e um dos organizadores do evento, Walter Montane, é importante estabelecer parceria entre universidades, governo e ONGs. "Os xavantes têm soluções muito interessantes para nos ensinar, desde o uso de ervas medicinais até programas de reciclagem. Para eles, o importante é o conhecimento científico que temos a lhes oferecer."

Corrida de toras

O projeto 'Uiwede em Sampa', elaborado por Everson Carlos da Silva, filho de índio guarani e bacharel em esportes pela USP, foi escolhido como tema da Semana por integrar os temas: meio ambiente, corpo e cultura indígena. O intuito de Everson é mostrar outras competições, além daquelas já incluídas na programação das universidades.

A Uiwede é uma competição tradicional, onde os xavantes correm carregando toras de palmeira de buriti, de aproximadamente cem quilos. É uma prova de força e resistência, na qual dois times correm por quinze quilômetros. A corrida pode ser considerada tanto um esporte como um rito e pressupõe uma equilibrada relação homem-natureza, visto que a realização da prova depende por um lado da existência concreta e física do buriti, e por outro da força e resistência dos xavantes, adquirida e mantida por meio do conhecimento desse povo sobre o meio ambiente.

A competição é aberta ao público e terá a participação da comunidade da USP e de atletas famosos. "O Uiwede simboliza todo o perfil do evento. Sem a tora não tem corrida. É uma maneira muito própria de um povo trabalhar o corpo e se relacionar com a natureza", diz Xanda.

Praça do Relógio

A grande expectativa do evento é para a caminhada ecológica que ocorre no dia 6. Ela sai da Praça 2 do Centro de Práticas Esportivas da USP terminando na Praça do Relógio. No local vai acontecer a troca e plantio de mudas. "Além das mudas do viveiro da universidade, vamos doar material bibliográfico produzido pela USP para os xavantes, e estes vão entregar as mudas que trouxeram de Mato Grosso", orgulha-se Walter. "Para finalizar vamos abraçar a Torre do relógio como símbolo da nossa preocupação e interesse pelo meio ambiente", orgulha-se Walter.

A Praça do Relógio construída em 1971, é o cartão postal da USP e considerado um dos mais importantes espaços ecológicos da Cidade Universitária. Em 1997 foi reurbanizada de acordo com projeto paisagístico elaborado por professores da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo e do Instituto de Biociências. Esse projeto criou nos 176 mil metros quadrados do local, os seis ecossistemas vegetais predominantes no Estado de São Paulo.

Num dos lados da praça foram plantadas 4 mil mudas de 60 espécies típicas da mata atlântica, como jatobá, jequitibá, cedro e pau-brasil. Ao longo da praça distribuem-se ainda espécies vegetais de mata araucária, restinga, campo rupestre, cerrado e mata semidecídua.

A abertura do evento será dia 2 de junho, às 9h15, no Auditório Ariosto Milla da FAU - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Cidade Universitária, com palestra sobre o tema: Políticas de parceria entre Universidades e Comunidade-ONGs. O encerramento acontece no dia 6, às 20 horas com apresentação do Coral da USP, artistas convidados e do Grupo Xavante. Mais informações: (11) 3091-4891/4868.
 

The news items published by the Indigenous Peoples in Brazil site are researched daily from a variety of media outlets and transcribed as presented by their original source. ISA is not responsible for the opinios expressed or errors contained in these texts. Please report any errors in the news items directly to the source