Foto: autor desconhecido, 1971

Gavião Pykopjê

  • Autodenominação
    Pykopcatejê
  • Onde estão Quantos são

    MA740 (Siasi/Sesai, 2012)
  • Família linguística

Introdução

Somos muito abandonados de recursos e a pressão em torno da nossa área é muito grande. Os jovens estão cada vez mais querendo sair para a cidade atrás de qualquer dinheirinho e voltam com muitos vícios e sem respeitar e valorizar mais os nossos costumes e o nosso modo de viver. Mas procuramos manter ainda muito viva a nossa cultura, pois ainda conseguimos realizar algumas das nossas festas, continuamos falando a nossa língua, furando a orelha, fazendo casamentos como manda a tradição. Nós já passamos por muita dificuldade, nosso povo quase foi acabado, mas agora estamos crescendo de novo e a nossa preocupação principal é como manter o nosso povo unido, sem ter que se espalhar para viver na cidade ou em outras aldeias. Para nós, a nossa união é reforçada, é vivida através das nossas festas, é quando as crianças e jovens aprendem quem é quem dentro da aldeia e como devem tratar cada um, como são nossos cantos que falam da natureza. Mas temos cada vez mais encontrado dificuldades para fazer as grandes festas que envolvem toda a comunidade." (Joel Martins, Pykopjê)