Noticias

Indígenas do Alto Rio Negro aprendem Língua Portuguesa

12/10/2010

Fonte: A Crítica - http://www.acritica.com/



Cento e vinte oito indígenas da comunidade Iauaretê - localizada no município de São Gabriel da Cachoeira, a 858 quilômetros de Manaus -, participam amanhã (13) da solenidade de conclusão do curso de alfabetização do Projeto Educar Indígena, financiado pela Fundação Banco do Brasil.

A procura pelo projeto, de acordo com a coordenadora pedagógica do curso, Zilma Rosana Acevedo, foi uma iniciativa da própria comunidade, devido a necessidade de aprender a ler e a escrever na Língua Portuguesa.

"No distrito, muitos não falam o português e o BB Educar Indígena além de proporcionar aprendizado, trouxe também autoestima. Além disso, percebemos uma grande mudança no comportamento dos alunos, que hoje se sentem parte de um contexto do qual eram excluídos", avalia.

O programa também conta com a parceria da Associação dos Professores Indígenas do Alto Rio Negro (APIARN) e a Secretaria de Educação de São Gabriel da Cachoeira. O projeto foi desenvolvido por 10 meses, e a metodologia aplicada ao grupo foi adequada à realidade das comunidades indígenas da região do Alto do Rio Negro.

Os alfabetizadores, indicados e integrantes das comunidades participaram de um curso de formação específico, com carga horária de 80 horas, distribuídas em duas semanas. A formação é ministrada por educadores do programa BB Educar. O trabalho do alfabetizador consiste na formação de núcleos de alfabetização. As aulas são ministradas em locais cedidos pelas instituições envolvidas.

Entre as etnias que vivem no distrito de Iauaretê - situado a 500 quilômetros da sede de São Gabriel da Cachoeira -, estão índios das etnias tariana, kubeo, piratapuia, wanano, hupda, desano, tukano e karapana.

*Com informações da Fundação Banco do Brasil

http://www.acritica.com/amazonia/Amazonas-Amazonia-Manaus-Indigenas-Alto-Negro-Lingua-Portuguesa_0_352164820.html
 

Las noticias publicadas en el sitio Povos Indígenas do Brasil (Pueblos Indígenas del Brasil) son investigadas en forma diaria a partir de fuentes diferentes y transcriptas tal cual se presentan en su canal de origen. El Instituto Socioambiental no se responsabiliza por las opiniones o errores publicados en esos textos. En el caso en el que Usted encuentre alguna inconsistencia en las noticias, por favor, póngase en contacto en forma directa con la fuente mencionada.

Noticisa relacionadas