Notícias

A luta do povo indígena

22/07/2010

Autor: Fernanda Deslandes

Fonte: Paraná Online - http://www.parana-online.com.br/




A história de um dos três irmãos que dedicaram sua vida à defesa dos povos indígenas será apresentada em Curitiba através da mostra Kuarup - A última viagem de Orlando Villas Bôas. O trio foi responsável pelo surgimento de pelo menos 40 cidades, 19 campos de pouso e o Parque Nacional do Xingu.

Orlando, além de sertanista e intelectual, era um forte articulador político. Junto de seus irmãos Cláudio e Leonardo, ele teve papel fundamental para que chegassem às tribos unidades de saúde e escolas. Também foi ele o principal incentivador da demarcação da área do Parque Nacional, onde hoje nenhuma outra forma de atividade agrícola ou comercial pode ser exercida para que a cultura indígena seja preservada.

Devido a todo seu trabalho, ele recebeu a mais importante homenagem dos indígenas que um homem branco poderia ter: o Kuarup, considerado a festa da ressurreição. Falecido em 2002, Orlando foi homenageado no ano seguinte por dois mil índios que vieram de várias regiões até a aldeia Yawapiti, formando o maior Kuarup já visto no Brasil.

Na exposição, os visitantes poderão conhecer mais sobre a cerimônia e ainda ter acesso a objetos pessoais do sertanista, fotografias que contam sua história, a gravação de uma entrevista feita anos antes da morte de Orlando, além de duas obras de Poty Lazzarotto e uma aquarela de Carybé feitas especialmente para ele, como um presente para selar a amizade que tinham.

Uma hora antes da abertura da mostra, uma visita guiada será feita por uma das curadoras da exposição, Denise Carvalho, junto do fotógrafo Renato Soares, documentarista da cultura indígena e companheiro de muitas viagens de Orlando, autor de 40 fotos apresentadas na mostra. "A exposição partiu do acervo do Renato, que acompanhou muito o Orlando nas viagens. As fotos dele sobre as tribos indígenas são maravilhosas, já que ele sabe captar o que interessa. São muito valiosas e documentam um ritual importante", ressalta Denise.

Foi durante o Kuarup que os curadores tiveram o primeiro contato com a família de Orlando, o que facilitou a organização. Noel, filho do sertanista, se envolveu e enriqueceu a mostra com o acervo pessoal do pai. Grande parte da seleção de material histórico para a mostra foi responsabilidade de Gilberto Maringoni.

Para ele, os indígenas poderiam estar em um número muito menor no País se não existisse o trabalho dos três irmãos, mais intenso em 1961 durante o governo de Jânio Quadros. "Orlando acreditava que a política de proteção aos índios tinha que ser uma ação do Estado brasileiro, uma política pública, estabilizada através de lei. Ele conseguiu isso com o decreto que delimitou o Parque Nacional do Xingu, onde hoje vivem 19 tribos que tem acesso à saúde e educação. Dos anos 40 até os 80, o número de integrantes nas tribos daquela região quase dobrou", lembra. O Parque é a maior área oficializada destinada à população indígena.

A exposição, que abriu em São Paulo e já passou pelo Rio de Janeiro e Belo Horizonte, chega a Curitiba reduzida para se adaptar ao espaço pequeno da Galeria da Caixa. "Ela é compacta, mas preserva o essencial, que são as fotos, principalmente do Kuarup", garante Gilberto. As próximas cidades a receber a mostra serão Brasília e Salvador.

Serviço

A exposição Kuarup - A última viagem de Orlando Villas Bôas abre hoje, às 19h30, com visita guiada às 18h30. Fica até dia 15 de agosto na Galeria da Caixa (Rua Conselheiro Laurindo, 280), em Curitiba. A entrada é franca.

http://www.parana-online.com.br/editoria/almanaque/news/463171/?noticia=A+LUTA+DO+POVO+INDIGENA
 

As notícias publicadas no site Povos Indígenas no Brasil são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos .Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.

Notícias relacionadas