News

Linhão de Guri em Roraima entra em testes nesta semana

27/06/2001

Autor: Marcia Valeria

Fonte: Gazeta Mercantil-AM



Começam neste final de semana os testes da linha de transmissão de 200 quilômetros que irá interligar o complexo hidrelétrico de Guri, na Venezuela, a Roraima. A Empresa de Eletricidade Del Caroni (Edelca), responsável pelas obras do lado venezuelano, está concluindo a instalação dos postes e cabos. Do lado brasileiro, as obras estão prontas, segundo informou o diretor-técnico da Boa Vista Energia S.A - subsidiária da Eletronorte - Ângelo do Carmo.
O governo do Estado de Roraima quer inaugurar o Linhão de Guri no dia 28 de julho, data que depende de confirmação da presença dos presidentes Fernando Henrique Cardoso e Hugo Chàvez, da Venezuela. O assessor de Comunicação do Estado, Galvão Soares, informou que o governador Neudo Campos está viajando para Brasília para assegurar a data da inauguração. Ontem, o secretário de Planejamento, Indústria e Comércio, Sérgio Pillon, informou que tão logo a energia esteja disponibilizada, o Estado vai realizar uma campanha em nível nacional para divulgar a oferta de 120 megawatts de energia em Roraima.
Após quatro anos do início das negociações entre Brasil e Venezuela, o projeto de Guri entra na reta final. No início de junho, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) formalizou a importação de 200 megawatts de energia elétrica da Venezuela para Roraima por um período de 20 anos. A Eletronorte investiu R$ 55 milhões na construção da linha de transmissão, que vai proporcionar a distribuição de energia para Roraima a um preço muito mais barato que o da produzida com a queima de óleo diesel por termelétricas. Hoje o custo da geração é de R$ 220 por MW/hora. A importação deve reduzir esse custo para US$ 26 MW/h.
Segundo Ângelo do Carmo, a BV Energia aguarda apenas a chegada da tensão da cidade de Santa Helena para testar as linhas. `Estamos prontos e aguardando uma posição da Edelca para iniciar os testes. Se tudo ocorrer como programado, os testes acontecem neste final de semana`, informa.
Pelo cronograma original, a importação da energia venezuelana deveria ter começado em janeiro de 1999, mas o projeto foi interrompido por conta da pressão de grupos ambientalistas e de comunidades indígenas venezuelanas que sabotaram as obras da linha de transmissão de energia elétrica entre o Estado de Bolívar (ao sul da Venezuela) e Boa Vista, que atravessava o território indígena.
Entre obras no Brasil e Venezuela, o projeto custou cerca de R$ 150 milhões. Do lado venezuelano, são cerca de 700 quilômetros de linhas de transmissão. A maior, de 300 quilômetros e 400 quilowatts (kW), vai de Macagua, na cidade de Puerto Ordaz, até Las Claritas. De lá, partem duas linhas, uma de 230 kW até Boa Vista e outra, de 34,5 kW, em direção a Santa Helena do Uairém, na região da Grande Savana, Sudeste da Venezuela, próximo à fronteira com o Brasil, e depois até o município de Pacaraima (RR), distante 212 quilômetros da capital.
Os custos do empreendimento em território venezuelano, que incluem a construção de duas subestações - em Las Claritas e Santa Helena - totalizam US$ 90 milhões. Durante a vigência do contrato, serão pagos mais US$ 800 mil por ano pela operação e manutenção das linhas. A construção de 190 quilômetros da linha de 230 kW até a capital roraimense está a cargo da Boa Vista Energia. Somando as duas subestações de rebaixamento de energia para 69 kW e 13,8 kW, a obra do lado brasileiro está orçada em US$ 55 milhões.
O Governo do Estado de Roraima irá investir US$ 26 milhões para interiorização da energia importada de Guri. Já está em fase de implantação 800 quilômetros de rede que irá atender 95% do Estado, segundo informou o secretário Sérgio Pillon.
 

The news items published by the Indigenous Peoples in Brazil site are researched daily from a variety of media outlets and transcribed as presented by their original source. ISA is not responsible for the opinios expressed or errors contained in these texts. Please report any errors in the news items directly to the source