Noticias

MPF pede à Polícia Federal investigação de ataque a índios

16/08/2012

Fonte: O Globo, País, p. 12



MPF pede à Polícia Federal investigação de ataque a índios
Após ocupação de reserva no Mato Grosso do Sul, pistoleiros teriam atirado

SÃO PAULO- O Ministério Público Federal no Mato Grosso do Sul pediu instauração de inquérito à Polícia Federal para investigar ataque de pistoleiros ocorrido na última sexta-feira à comunidade indígena Guarani Kaiowá de Arroio Korá, no município de Paranhos. Durante a madrugada, cerca de 400 índios haviam ocupado o local, considerado território sagrado e homologado como terra indígena pela União desde 2009, mas que segue sob controle de fazendeiros. Segundo o MPF, uma menina de 2 anos morreu no local em circunstâncias não esclarecidas, após o ataque.
A ocupação pelos índios ocorreu durante a madrugada. Eles foram atacados por pistoleiros no fim da manhã da última sexta-feira. Um índio desapareceu após os ataques. A Força Nacional de Segurança chegou ao local na própria sexta-feira, após o ataque, mas os agressores já tinham fugido.
Os pistoleiros teriam ficado horas atirando contra os indígenas, com munições levadas em caminhonetes. Pelo menos 120 crianças estavam no local durante o ataque. O corpo da menina morta foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Ponta Porã. Há suspeita de que ela estava desnutrida.
- O quadro de desnutrição nas aldeias da região é grande.
Os índios continuam a ser impedidos de ocupar as terras, mesmo elas tendo sido homologadas. É um absurdo que não se tome providência para resolver a situação - diz Flávio Barbosa, do Conselho Indigenista Missionário (Cimi).

O Globo, 16/08/2012, País, p. 12
 

Las noticias publicadas en el sitio Povos Indígenas do Brasil (Pueblos Indígenas del Brasil) son investigadas en forma diaria a partir de fuentes diferentes y transcriptas tal cual se presentan en su canal de origen. El Instituto Socioambiental no se responsabiliza por las opiniones o errores publicados en esos textos. En el caso en el que Usted encuentre alguna inconsistencia en las noticias, por favor, póngase en contacto en forma directa con la fuente mencionada.

Noticisa relacionadas